Ibema apoia Voz dos Oceanos em expedição inédita na costa do país
Projeto coleta amostras de ostras, vieiras e mexilhões, amplamente consumidos pelos seres humanos, a fim de verificar a presença de microplásticos nos tecidos dos animais

Com o propósito de “embalar o futuro”, a Ibema, uma das principais fabricantes de papelcartão da América Latina, busca constantemente desenvolver ações e firmar parcerias que tenham como objetivo combater a poluição e frear o avanço das mudanças climáticas. É por isso que a empresa apoia iniciativa inédita da Voz dos Oceanos, liderada pela Família Schurmann, voltada a diagnosticar a presença de microplásticos em organismos marinhos na costa brasileira.

Iniciada em meados de maio e com duração total estimada em 70 dias, a expedição terrestre está percorrendo cerca de 20 cidades litorâneas do país, de Santa Catarina ao Pará, com tripulação formada exclusivamente por mulheres. Durante o percurso, são coletados bivalves, organismos marinhos formados por uma concha de duas partes (valvas), como ostras, vieiras e mexilhões.

As amostras, que serão enviadas para análise em laboratórios da Universidade de São Paulo (USP), são importantes porque esses animais, amplamente consumidos pelos seres humanos, são filtradores e acabam acumulando partículas de microplástico em seu tecido.

“A poluição plástica é uma das principais preocupações ambientais da atualidade e o Brasil, infelizmente, destaca-se negativamente nesse contexto. O país fabrica 11 milhões de toneladas de plástico por ano, mas apenas 1,2% do total é reciclado, segundo dados da WWF e do Banco Mundial. Além disso, cerca de 325 mil toneladas do material vão parar no mar anualmente, de acordo com levantamento da Oceana, organização focada na preservação dos oceanos. Estamos muito atentos a isso na Ibema e embarcar nesse projeto vai ao encontro do nosso compromisso com o meio ambiente”, comenta Thelma Bayoud, gerente de Estratégia e Marketing da Ibema.

Thelma acrescenta ainda que esse é apenas o início de uma parceria entre a empresa e a Voz dos Oceanos, com a previsão de serem desenvolvidos diversos projetos de mobilização, conscientização, arte, entre outros ao longo dos próximos anos.

Resultados

Quando concluído, o estudo irá apresentar um diagnóstico de microplásticos em organismos marinhos, abordando também a crescente preocupação relacionada à segurança alimentar que decorre da exposição humana por meio da ingestão de alimentos que vêm do mar.

“Nos últimos dois anos, a Voz dos Oceanos testemunhou a presença de plástico e microplásticos em cerca de 100 destinos nas Américas Sul, Central e Norte e na Oceania. Agora, a expedição terrestre concretiza o pilar científico desse grande projeto. A pesquisa poderá contribuir para os esforços relacionados à redução a poluição dos mares e para mitigar o consumo de alimentos com microplásticos de origem marinha. Trata-se de um tema de extrema relevância não apenas para o Brasil, como também globalmente”, afirmam Vilfredo e Heloisa Schurmann, líderes da Voz dos Oceanos.

Feira especializada em produtos orgânicos e naturais terá estande de bioinsumos da Embrapa e empresas parceiras
Promip vai apresentar o BaculoMip-SF, desenvolvido em parceria com a Embrapa para controle da lagarta-do-cartucho

A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) será uma das expositoras da Bio Brazil Fair I Biofach América Latina 2024, que ocorre de 12 a 15 de junho, em São Paulo (SP), e é considerada uma das maiores feiras de produtos orgânicos, naturais e saudáveis da América Latina. No estande da Embrapa serão apresentados produtos, tecnologias e serviços desenvolvidos por seus centros de pesquisa na área de bioinsumos, e também em parceria com empresas do setor.

Entre esses produtos está o BaculoMip-SF, desenvolvido em parceria com a Promip, indicado para o controle biológico da lagarta-do-cartucho.  “Trata-se de um inseticida microbiológico composto pelo vírus entomopatogênico Baculovirus spodoptera multiple nucleopolyhedrovirus (SfMNPV), e que é altamente eficaz no controle exclusivo da lagarta-do-cartucho. Por ser natural, não deixa resíduos na cultura, não causa danos ao meio ambiente e ao aplicador e ainda contribui para a redução da aplicação de defensivos químicos, além de ter seu uso aprovado para a agricultura orgânica”, explica Marcelo Poletti, CEO da Promip.

Referência na área de bioinsumos, a Embrapa Agrobiologia também levará para a feira as plantas inoculadas com microrganismos mantidos no Centro de Recursos Biológicos Johanna Döbereiner, em Seropédica (RJ). A coleção tem mais de sete mil microrganismos, entre bactérias e fungos, coletados pelos pesquisadores na natureza, em diferentes regiões do País, e com potencial para serem utilizados como insumos biológicos na agricultura brasileira.

SERVIÇO – Bio Brazil Fair | Biofach América Latina e Naturaltech 2024

Dias: 12 a 15 de junho de 2024

Horários: Dias 12 e 13, das 10h às 13h, exclusivo para profissionais B2B e B2P. Público em geral nestes dias somente a partir das 13h.

Dias 14 e 15, das 10h às 20h, para todos os públicos.

Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – Avenida Olavo Fontoura, 1209, São Paulo (SP).

Indústria de alimentos: resiliência e inovação para sustentar as populações
Primeiro dia do V International FoodTech Forum, em Campinas (SP), debate a necessidade de inovar para produzir alimentos com sustentabilidade

A indústria de alimentos tem como compromisso sustentar uma população mundial que deve chegar a 10 bilhões de pessoas em 2050, segundo estimativa da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura). Simultaneamente a este desafio, o sistema agroalimentar global busca reduzir em quase um terço as emissões de gases de efeito estufa por meio de ações que garantam abastecimentos mais seguros e tornem os processos de produção resistentes às mudanças climáticas. Com o propósito de discutir as transformações dos ecossistemas alimentares, o V International FoodTech Forum reuniu no primeiro dia do evento (05/06), no Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital Campinas), lideranças mundiais em palestras e painéis em torno do tema central “A indústria de alimentos resiliente, colaborativa e inclusiva”. O fórum estende sua programação até quinta-feira (06/06), agregando o IV FoodTech Expo.

O V International FoodTech Forum, que se consolida como o mais importante evento de FoodTechs da América Latina, tem como eixos sustentabilidade, meio ambiente, inovação, operação Supply Chain, design de alimentos, qualidade e segurança alimentar, pesquisa e desenvolvimento, novos negócios, pesquisa e ciência, tecnologia e estratégia. Além de reunir representantes da indústria de alimentos e bebidas, governos, agências de fomento, fornecedores de ingredientes e equipamentos, empresas de food service, de embalagem, a programação agrega universidades e instituições de pesquisa.

“O fórum é um ponto de encontro para discussões de alto nível sobre a produção global de alimentos, considerando-se todos os aspectos desta complexa cadeia e os desafios diante das mudanças climáticas”, afirma Paulo Silveira, fundador e CEO do FoodTech Hub Latam, organizador do evento. Não por acaso, esta edição escolhe como tema central “A indústria de alimentos resiliente, colaborativa e inclusiva”. “A resiliência pode ser entendida como uma capacidade que permite lidar com as adversidades, absorver choques e promover adaptações à medida que rupturas e crises se interpõem às realizações”, destaca.

Durante a manhã, foram realizados dois debates: “CEO Resiliente” e “Inovação Resiliente e Colaborativa”.

À tarde, nutrição e inteligência artificial conduziram o debate “NutriTech”. As cadeias sustentáveis e inclusivas, mais especificamente voltadas à produção de cacau, foram abordadas a partir da visão de pesquisadores e do posicionamento de indústrias processadoras de cacau e outras organizações. O último debate, “Fermentação de precisão”, envolveu sistemas produtivos e nutrição.

A vez das startups

O IV FoodTech Expo reúne as startups mais disruptivas do Brasil e da América Latina e as mais importantes agri-food techs sul-americanas. Com mentores globais, a exposição também proporciona acesso a investidores.

As startups expositoras do FoodTech EXPO vão participar da seleção do Foodtech Global Challenge. Com escolha do público, as cinco mais votadas serão selecionadas para o pitch final do evento, no dia 06/06, com um corpo de jurados definindo a vencedora.

O International FoodTech Forum e o FoodTech Expo são eventos carbono zero. Tudo o que é gerado na realização da programação será compensado em créditos de carbono na parceria do FoodTech Hub Latam com a Ambipar. “Somos o primeiro evento de FoodTechs da América Latina com esse viés de sustentabilidade, um dos pilares do ecossistema FoodTech Hub Latam”, ressalta Paulo Silveira.

Site mostra pegada de carbono de produtos para o consumidor final
Iniciativa desenvolvida pela Zaya, "Qual é a Sua Pegada?" quer dar transparência aos dados ambientais na relação entre empresas e consumidores

Atenta às tendências e melhores práticas quando o assunto é o compromisso das empresas com a sustentabilidade, a Zaya, greentech com software proprietário que calcula o impacto ambiental de empresas, anunciou o lançamento de uma iniciativa pioneira no mercado brasileiro: a página “Qual é a Sua Pegada?”  permite  ao consumidor solicitar informações sobre a pegada de carbono de produtos que comprou ou pretende comprar.

A iniciativa vem em um momento em que é importante mostrar o poder que empresas têm para mudar o cenário de impacto ambiental. De acordo com a companhia, o objetivo é dar ferramentas para que o consumidor cobre marcas e empresas sobre o impacto real e a pegada de carbono de seus produtos. Trata-se de uma maneira mais eficaz de trabalhar em prol da sustentabilidade.

O acesso ao site é gratuito e pode ser feito por qualquer pessoa interessada ou curiosa sobre os dados ambientais. Para isso, basta que o usuário compartilhe o nome do produto e marca para que a empresa possa fazer a busca. O time responsável pela iniciativa solicita os números de pegada de carbono aos fabricantes e compartilha o resultado coletado com quem os solicita. Lançada nas redes sociais da companhia nesta 3a feira (14 de maio), e já recebeu dezenas de solicitações dos mais diversos setores, desde camisetas de algodão e produtos cosméticos até iscas de pesca e bicicletas.

Para os consumidores, a iniciativa possibilita transparência sobre os produtos que consomem, além da formação de um repertório sólido para exercer uma cobrança mais eficaz sobre as empresas em suas práticas ambientais. Com os dados em mãos, os consumidores podem fazer escolhas de forma mais consciente e gerar menos impacto ambiental.

Para as empresas, é uma oportunidade de engajamento com o público por meio de uma mensagem contundente de preocupação e alinhamento com atividades sustentáveis. As informações prestadas aos consumidores, via abordagem pelo site, podem tangibilizar discursos de empresas que de fato colaboram para  a redução da quantidade de gases de efeito estufa (GEE) emitidos em seus processos.

“Das fábricas às prateleiras de supermercados, cada um dos produtos que consumimos possui  um impacto ambiental que deve ser analisado e compreendido para que as melhores decisões sejam tomadas no combate às mudanças climáticas”, pontua a co-fundadora da Zaya, Isabela Basso. “Nesse cenário, estimular esse tipo de transparência entre empresas e consumidores de forma clara é um passo muito  importante”, explica a executiva.

“Qual é a Sua Pegada?” foi elaborada de forma integral pela empresa e está disponível para acesso por meio desse link.