Haddad vai propor mudanças no formato de pisos de Saúde e Educação
Ministro assegurou que limites de crescimento real não trarão perdas

Da Agência Brasil

Diante do descolamento dos pisos das pastas de Saúde e Educação dos demais gastos do novo arcabouço fiscal, a equipe econômica do governo federal pretende propor, no Orçamento do próximo ano, mudanças no formato dos gastos mínimos para as duas áreas, disse nesta terça-feira (11) o ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

O ministro afirmou que levará ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugestões de novas fórmulas de cálculo na elaboração do Orçamento Geral da União do próximo ano, que terá de ser enviado ao Congresso até 30 de agosto.

“Vamos levar algumas propostas para o presidente, que pode aceitar ou não, dependendo da avaliação que ele fizer”, declarou o ministro em relação a uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo que apontou que o governo pretende limitar a 2,5% o crescimento real (acima da inflação) dos pisos para a saúde e a educação.

Apesar da mudança dos cálculos, Haddad descartou o risco de perda de recursos para as duas áreas. “Não se trata disso, ninguém tem perda”, garantiu o ministro.

A mudança tem o objetivo de evitar o colapso do novo arcabouço fiscal porque os pisos para a Saúde e a Educação cresceriam mais que os gastos discricionários (não obrigatórios) dos ministérios nos próximos anos. O próprio Tesouro Nacional estima que o espaço para as despesas livres do governo será comprimido ano a ano, até se extinguir em 2030, caso as regras para os limites mínimos de Saúde e Educação não sejam alteradas.

Pelas contas do Tesouro, de 2025 a 2033, o governo terá R$ 504 bilhões a menos para gastos discricionários, que incluem os investimentos (obras e compra de equipamentos). “São vários cenários que estão sendo discutidos pelas áreas técnicas, mas nenhum foi levado ainda à consideração do presidente”, disse Haddad.

Descompasso

O descompasso ocorre porque, enquanto os pisos mínimos para a Saúde e a Educação são calculados com base num percentual das receitas, os demais gastos do arcabouço fiscal obedecem ao limite de 70% do crescimento real (acima da inflação) da receita no ano anterior. Com o fim do teto federal de gastos, no ano passado, os pisos voltaram a ser 15% da receita corrente líquida para a saúde e 18% da receita líquida de impostos para a educação.

No ano passado, durante as discussões do novo arcabouço fiscal, o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, defendeu uma reavaliação do cálculo dos pisos mínimos no Orçamento de 2025. “Entendemos que há critérios que podem ser melhores que a mera indexação [em relação às receitas]”, disse Ceron na época.

Também no ano passado, Haddad tinha dito que a equipe econômica pretendia incluir uma regra de transição no arcabouço fiscal, mas a proposta não foi levada adiante na elaboração nem na discussão do novo marco para as contas públicas.

Webinar que vai debater saúde suplementar para empresa na atualidade acontece amanhã (12)
Evento terá transmissão pelo Youtube da INLAGS Academy

Da Redação

A INLAGS Academy vai promover amanhã, 12 de junho, às 18h, a webinar O modelo de saúde suplementar para empresa no debate atual. Em mais uma palestra gratuita, Paulo Marcos Senra, médico e fundador do INLAGS, vai receber o superintendente de saúde do SESI Emmanuel Lacerda, com mais de 25 anos de experiência em articulação institucional e gerenciamento de projetos, e o diretor médico da Procter & Gamble Fernando Akio Mariya, para debater as principais tendências e desafios no campo da saúde suplementar e como isso impacta a Saúde Corporativa. O evento será transmitido pelo Youtube da INLAGS Academy, e as inscrições são gratuitas pelo link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeHkv8GNjLq_Yx-Phtq6x_Gzgt7tBLmXDPTgwDps33VilerKQ/viewform?pli=1.

É possível ter produtividade na saúde? Webinar da INLAGS debateu o tema nesta quarta-feira
Palestra gratuita foi transmitida no Youtube

Webinar online aconteceu no canal da INLAGS Academy no Youtube.

Da Redação

O Instituto Latino Americano de Gestão em Saúde (INLAGS) realizou nova palestra online na última quarta-feira (22) para debater o tema da produtividade na saúde. Esse falso dilema engloba diversos fatores, como o fato da produtividade não estar necessariamente atrelada a produção. Rafael Paim, sócio-fundador e CEO da Enjourney, exemplificou ao comparar a quantidade de atendimentos que um médico pode realizar em seu consultório, que significa uma alta produção de atendimentos, mas que não necessariamente significa uma alta produtividade médica. “Se esperamos que determinado grupo de pacientes não precisem retornar ao hospital após a primeira consulta, mas acabam voltando, não temos produtividade. O movimento é algo vazio, enquanto a produção é algo útil. O objetivo é saber identificar pacientes que não precisam de procedimentos cirúrgicos, por exemplo, e direcioná-los corretamente. Evitar que ele precise voltar diversas vezes ao hospital”, comentou o profissional.

Além de Rafael, participaram do debate Paulo Marcos Senra, médico e fundador do INLAGS, e Carlos Loja, diretor regional da DASA. Os profissionais abordaram diversos temas entorno da produtividade na saúde, como a importância na redução de desperdícios, a redução de variabilidade dos processos e a necessidade de controle operacional por parte das empresas para uma melhor gestão da saúde. A edição completa está salva no canal do INLAGS Academy no Youtube através do link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=I1lREzFYNOE .

Campanha de doação de sangue “Abrace essa ideia” volta ao Teatro Riachuelo
A quarta edição da campanha espera receber cerca de 300 doações de sangue, no posto de coleta temporário que será montado no Teatro Riachuelo nos dias 28 e 29 de maio

 

Expectativa da campanha é alcançar 300 doações

 

Da Redação

Inaugurando a temporada 2024, o GSH Banco de Sangue Serum e a Rede D’Or realizam uma nova edição da campanha #AbraceEssaIdeia no Teatro Riachuelo, nos dias 28 e 29 de maio, onde funcionará um posto de coletas de sangue temporário, das 8h às 17h.

Ao longo das 3 edições anteriores realizadas no ano passado, com o mote #SeuTipoSalvaVidas foram coletadas cerca de 500 bolsas, e a expectativa atual é de receber até 300 doações de sangue, nos dois dias da campanha.

“Essa parceria também com o Teatro Riachuelo facilita o acesso e a logística para que mais pessoas possam doar pela primeira vez, pela sua localização estratégica no Centro do Rio de Janeiro”, explica Mário Sampaio, profissional de captação de doadores do GSH Banco de Sangue Serum.

A ação tem o objetivo sensibilizar e engajar a população sobre a importância da doação de sangue, como também auxiliar no equilíbrio dos estoques do Banco de Sangue, que, atualmente enfrentam um déficit de 70%.

Uma única doação pode beneficiar até quatro pessoas adultas ou oito crianças. O sangue doado é utilizado principalmente em atendimentos de urgências e realização de cirurgias de grande porte, além de ser fundamental para pessoas em tratamento de câncer que necessitam de transfusão.

A estrutura levada ao Teatro Riachuelo conta com toda a expertise dos dois grupos de saúde envolvidos para promover uma experiência agradável aos doadores, uma vez que estes são peças fundamentais para o sucesso da campanha.

Vice-presidente médico da Rede D’Or, Leandro Reis ressalta que a campanha desempenha um importante papel em divulgar o tema e incentivar a participação da população. “Vamos continuar trabalhando em conjunto com o Grupo GSH para engajar a sociedade nesta causa. Por isso, convido as pessoas a virem doar sangue, pois teremos toda a estrutura para receber os voluntários com toda a segurança”, afirma.

Para doar, basta comparecer ao local, observando os requisitos abaixo:

Confira a lista completa dos pré-requisitos para doação de sangue:

  • Apresentar um documento oficial com foto (RG, CNH etc.) em bom estado de conservação;
  • Ter idade entre 16 e 69 anos desde que a primeira doação seja realizada até os 60 anos (menores de idade precisam de autorização e presença do responsável legal no momento da doação);
  • Não é permitido realizar doação acompanhado de menores de 12 anos (exceto se o menor estiver acompanhado de dois adultos, sendo necessário o revezamento dos mesmos enquanto acontece a doação);
  • Estar em boas condições de saúde, se sentindo bem, sem qualquer sintoma;
  • Pesar a partir de 50 kg e ter dormido ao menos 6h na última noite;
  • Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;
  • Não é necessário estar em jejum, evitar alimentos gordurosos;
  • Se fez tatuagem e/ou piercing, aguardar 12 meses. Exceto para região genital e boca (12 meses após a retirada);
  • Em caso de diabetes, deverá estar controlada e não fazer uso de insulina;
  • Se passou por endoscopia ou procedimento endoscópico, aguardar 6 meses;
  • Não ter tido Doença de Chagas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST);
  • Candidatos que apresentaram sintomas de gripe e/ou resfriado devem aguardar 7 dias após cessarem os sintomas e o uso das medicações;
  • Aguardar 48h para doar caso tenha tomado a vacina da gripe, desde que não esteja com nenhum sintoma.

Consulte a equipe do banco de sangue em casos de hipertensão, uso de medicamentos e cirurgias.

Serviço

Campanha #SeuTipoSalvaVidas:

Quando: 28 e 29 de maio, das 8h às 17h

Local: Teatro Riachuelo – Rua do Passeio, 38/40 – Centro, Rio de Janeiro – RJ